x
06 Jul BP 183: Branding olfativo

Muitos de nós, ao pensar no branding olfativo, ou na relação aroma x produto, pode se lembrar daquele maldito burrifador que se coloca nos banheiros e exala um cheiro forte e enjoado. Uma questão relevante ao sentido do olfato é que, ao mesmo tempo que pode remeter a uma memória afetiva e criar um vínculo, pode criar repulsa.
O aroma é um sentido, como todos os outros, absolutamente subjetivo e por isso, o bom pra você pode não ser o bom pra mim.
Mais uma vez entra o branding nessa história. É preciso saber quem se é, o que se comunica e, mais importante ainda, para quem se comunica. Alguns exemplos acertados são Singapore Airlines ( aliás acertado em tudo, um dos cases de branding mais estudados da atualidade) e o Starbucks. Um aroma deve fazer sentido no contexto inserido.

Sem comentários

Deixe seu comentário

Volte para a Home ou saiba mais sobre o serviços de  personalidade da marca e experiência de marca da agência.